Geralmente se desenvolvem na infância, trazendo prejuízo para as relações, para o aprendizado e a autoestima que perduram pela vida adulta. O déficit de atenção e a hiperatividade tem como manifestações principais a hiperatividade e a distração, tendo como consequência o fracasso escolar. O autismo, ou o espectro autista, é um transtorno da comunicação e do interesse, com graus varados de prejuízo para as relações humanas e desempenho mental. A deficiência intelectual é uma caracterizada por dificuldade cognitiva global ou em algum domínio específico da cognição, gerando dificuldades de aprendizado. 

A pessoas com hiperatividade tem dificuldades de permanecer quietas em alguma atividade, tem comportamento impulsivo e frequentemente está balançando mãos ou pés. As pessoas com dificuldade de atenção têm prejuízos na capacidade de concentração, cometendo erros por desatenção, perde objetos, se distrai facilmente e esquece coisa na vida diária. As duas manifestações acima geralmente vêm juntas e ocasionam dificuldades escolares, ou por comportamento inadequado, ou por falha no aprendizado, com fracasso escolar e problema na autoestima. De uma forma geral, a hiperatividade fica menos intensa na vida adulta. 

O autismo é um transtorno da comunicação verbal e não-verbal, da interação social e comportamento restrito e repetitivo. Nele coexistem sintomas como dificuldades de compartilhamento emocional, dificuldades de ajustar o comportamento as demandas sociais e também problemas na linguagem verbal e na corporal. São comuns interesses restritos e movimentos repetitivos, junto com dificuldades com rotinas simples. O s sintomas variam de intensidade e a doença pode ser acompanhada de dificuldades intelectuais.

A deficiência intelectual é caracterizada por comprometido de funções mentais como raciocínio, resolução de problemas, planejamento, pensamentos abstrato, julgamento e aprendizado, gerando comprometimento nas habilidades sociais e culturais, causando dependência para as atividades de vida. Traz repercussões importantes na vida das pessoas portadores e daquelas a sus volta. 

Os transtornos comportamentais se iniciam na infância e geram repercussões por toda a vida dos portadores. A identificação e o tratamento precoce por um profissional qualificado são a chave para melhorar a qualidade de vida e minimizar essas repercussões. São comuns o preconceito, o medo, a intolerância, problemas na autoestima e fracasso escolar e a informação é o melhor remédio para se evitar tais problemas.